CONSTELAÇÕES FAMILIARES

A Constelação Familiar, revela os emaranhamentos que existem dentro da família, muitas das dificuldades pessoais, assim como problemas de relacionamentos, são o resultado das confusões do sistema familiar, às vezes encontramo-nos fora do nosso verdadeiro lugar, ou em um papel que não é o nosso, impossibilitando de seguirmos o nossa próprio caminho.

O encantamento deste trabalho de cura é trazer à luz as ordens do fluxo do amor, observando, não só com os nossos olhos físicos, mas sim com os nossos olhos espirituais, com a nossa alma e com amor desatar os nós e abrir novas possibilidades para o futuro.

Nascemos todos dentro de um grande sistema familiar, com histórias que já vem de gerações anteriores, histórias felizes e menos felizes. Herdamos do nossos ancestrais toda a história deles, assim como herdamos a sua aparência e os seus dons, também repetimos padrões, perdas, doenças, relacionamentos complicados…

No trabalho de Constelações temos a oportunidade de observar estas dinâmicas ocultas, que vem à luz de forma surpreendente, sendo possível perceber o que bloqueia o fluxo do amor, com clareza e dar início à sua solução, harmoniosamente e amorosamente.

Podemos fazer uma Constelação Familiar para ajudar nos relacionamentos entre casais, familiares (pai, mãe, irmão, filhos, avós, tios…), saúde, dinheiro, padrões, fobias, divórcios, conflitos profissionais, entre outros temas.

As Constelações Familiares são apenas um caminho prático e direto que está em contato com a dinâmica da vida.

Este trabalho de cura, as Constelações Familiares, baseia-se em três princípios fundamentais: (Ordens do Amor)

– Direito de pertencer (todas a pessoas têm o direito de pertencer à sua família)

– Equilíbrio entre o dar e o receber (o dar e o receber equilibrado leva o desejo de dar mais espontaneamente e receber com gratidão)

– A ordem familiar precisa de ser respeitada (algo dá errado quando as crianças sentem que elas têm que cuidar dos pais). Quando o senso da ordem é reestabelecido há um novo sentimento de segurança do conhecimento de qual é o seu lugar na família.

A história da nossa família pertence-nos, ela faz parte das nossas lembranças e memórias da nossa ancestralidade, da nossa personalidade e estamos vinculadas a ela.

Constelações Familiares Individuais

A Constelação Familiar Individual, pode ser trabalhada de duas formas diferentes, a primeira com “bonecos” servindo de representantes da família do cliente ou com ” papeis no chão ” onde o cliente participa activamente do processo, entrando no lugar dos seus próprios familiares, percebendo cada situação e o que cada um sente.

Quando a sessão encerra o procedimento é o mesmo que na Constelação em grupo, damos o tempo necessário para que o cliente sinta que a situação trabalhada, lhe traga paz e fortalecimento.

Benefícios da técnica das Constelações Familiares:

Os benefícios são variados, ficar em paz com a vida, experimentar um sentimento de confiança, resgatar a auto estima, ganhar serenidade, aprender com os relacionamentos, entre outras.

É um trabalho maravilhoso, trazemos à luz de forma consciente e mágica a libertação do fluxo do Amor.

Se queres despertar, permite-te mergulhar na profundidade deste trabalho.

Texto de Catarina Barreto

 

Anúncios

Meditar é para todos!

Meditar diariamente nos ajuda a ACALMAR a mente, CONTROLAR as emoções, VIVER o momento presente, ter mais clareza e saber lidar com as diversas situações que enfrentamos no dia a dia, ter mais TRANQUILIDADE, SERENIDADE, EQUILÍBRIO EMOCIONAL, melhoras no trabalho e nos relacionamentos…

Com a prática de MEDITAÇÃO você vai encontrar dentro de si as respostas que busca à sua volta. Ela é um encontro com nós mesmos, com a nossa Essência.

Praticar MEDITAÇÃO age na prevenção da ANSIEDADE, DEPRESSÃO, SÍNDROME DO PÂNICO, INSÔNIA, STRESS, FADIGA, INDISPOSIÇÃO, CANSAÇO FÍSICO… Essa prática ajuda a aumentar o seu nível de produtividade, protege de doenças e te fortalece.

E sabe o que é melhor? A MEDITAÇÃO é para todos!

Não tem que ser zen, místico e religioso. Independente das suas crenças, independente do Deus que você acredita, da sua idade, raça, cor… você pode sim praticar Meditação.

Seja no seu quarto, na sala, no jardim, na praia, em contato com a natureza, você pode praticar onde estiver, pois a Meditação é algo interno e você não precisa de um lugar próprio. “No entanto se sentir que meditar em grupo e com alguém com conhecimento e prática que guie a Meditação é melhor para si, escolha onde pode faze-lo.

Venha experimentar às 2ªs Feiras 20h no ZEN & TERAPIAS-Malveira

E fique tranquila, você não precisa estar sentada em POSIÇÃO DE LÓTUS como costuma ver, o importante é estar numa posição confortável, em que não adormeça…

AYURVEDA em Julho

Fique fresco, calmo e hidratado!
Alimentos super refrescantes estão à nossa disposição nesta altura do ano e são o antídoto perfeito para o tempo seco e quente. As frutas e vegetais desta altura são em natureza refrescantes, desintoxicantes e purificantes para o fígado, pele e sangue.

Legumes refrescantes como espargos, coentros, hortelã, legumes de folha verde, curgete.
Fique frio, calmo e hidrate-se. Beba água à temperatura ambiente com algumas fatias de pepino, faça chá de sementes de coentro e coma mais fruta madura.
Chás de verão: chicória, dente de leão e menta.
O início do verão é a altura das bagas e cerejas. Estas têm poderosos antioxidantes e ajudam o sistema linfático.
Durante o verão a digestão está um pouco mais fraca o que quer dizer que podemos comer algumas refeições só de fruta, por exemplo o pequeno almoço.
Evite exercício à hora de almoço. Faça Pranayamas suaves durante o dia.
Pode notar o agravamento de Pitta como falta de energia, acidez , azia, irritabilidade, impaciência, sensibilidade ao calor, raiva, irritações na pele e mesmo altos e baixos no açúcar do sangue. Experimente acrescentar mais coentros, aloé vera e ghee à sua rotina. Tente descansar mais e evite o perfeccionismo e a competitividade.
Coma mais alimentos doces, amargos, frescos, húmidos e oleosos: como fruta, óleo de coco, vegetais cozidos e saladas.
Coma menos picantes, salgados, quentes e secos como batatas fritas, álcool, e comida picante.

Se a sua constituição é Pitta evite:
Picantes
Chocolate
Café
Carne vermelha
Iogurte e queijo
Álcool
Fermentados
Devemos ter em conta que a nossa digestão está mais fraca no verão e, portanto, teremos mais dificuldade a digerir alimentos pesados e ricos em gordura. A natureza está a cozinhar todos os frutos e legumes ao sol durante todo o verão para nos facilitar o trabalho digestivo. Então pense duas vezes antes de comer carnes vermelhas num churrasco, batidos pão e queijo pois estas são comidas de inverno.
Tente comer segundo a proporção de 50% vegetais da época, 25% proteína e 25% de cereais. Acrescente ghee a cada refeição.
Se a sua constituição for Vata pode comer fermentados e ácidos e deve ter cuidado para não secar: beber muita água, aumentar o consumo de ghee e azeite e olear o corpo todos os dias.
Os de constituição Kapha estão tranquilos pois durante o verão as qualidades Kapha diminuem.

Conselhos da nossa terapeuta de Ayurveda…

Boas férias!

Ver Mais

Gosto Mostrar mais reações

Ansiedade…

Embora a ansiedade muitas vezes tenha origem genética, ela também pode ser resultado de eventos traumáticos ou conflitos internos que precisam ser tratados. É um erro investir em tratamentos que focam apenas nos sintomas físicos e não na origem da ansiedade. Por isso uma boa indicação é a terapia.

Pode ser um psicoterapeuta, um psicólogo, um terapeuta holístico, o que a pessoa melhor interpretar que possa curar seu problema. O que estabelece a qualidade do tratamento é a sua confiança no profissional.

Há vários tratamentos alternativos que ajudam a curar a ansiedade sem os custos de uma terapia cara ou os efeitos colaterais dos remédios, além disso elas se diferem das terapias tradicionais que para algumas pessoas são um processo ineficaz. Algumas das tantas opções de tratamentos alternativos são:

Yoga – A Yoga é muito mais do que a prática de um exercício como também uma ideologia de vida em que  é aprendido a controlar a mente e o corpo por meio de um conjunto de técnicas respiratórias, posturas corporais e meditação.

Muito eficaz e benéfica para casos que envolvam o desequilíbrio mental e emocional, a Yoga é uma boa opção para tratar a ansiedade. Além do relaxamento, promove o aumento da flexibilidade, ajuda a fortalecer os músculos, proporcionando um aumento da vitalidade e, consequentemente, maior controle sobre o stresse.

Acupuntura –  Essa é uma técnica da medicina chinesa capaz de eliminar dores e também a ansiedade. Ela é feita por meio da aplicação de agulhas esterilizadas em pontos específicos do corpo.

Deve-se ter em mente que o tratamento difere de pessoa para pessoa e não necessariamente funciona para todos. Entre os benefícios da prática estão:

  • Sensação de tranquilidade
  • Diminuição de dores específicas
  • Reduz o potencial de ansiedade
  • Trata diferentes problemas de saúde ao mesmo tempo

Florais de Bach – Criados na década de 30, pelo médico Edward Bach, consiste em usar diferentes tipos de plantas e essências de flores para tratar estados da mente como o medo, a incerteza e a solidão.

Os florais podem ser usados para amenizar sintomas de ansiedade de forma natural e sem contraindicação, podendo ser usado por pessoas de todas as idades. Atua na limpeza de dores físicas, mentais e espirituais, proporcionando a paz interior, é preciso que seja aplicado em determinadas horas do dia e em ambiente silencioso.

Para casos de ansiedade, os Florais de Bach tratam o indivíduo em primeiro lugar, e não o transtorno em si. Agem na causa dos sintomas, buscando restaurar o equilíbrio da mente. A posologia correta é de duas a quatro gotas ao dia. Os florais mais indicados para a ansiedade são:

  • Agrimony: poderoso ansiolítico natural – Indicado para casos em que a pessoa apresenta tortura mental, infelicidade e ansiedade extrema;

    *Vervain: usado no tratamento de pessoas que se dedicam em excesso a um projeto e não conseguem relaxar. Trata a ansiedade decorrente de busca obsessiva de objetivos;

    *Cherry Plum: floral indicado pra quem tem medo de perder o controle e fazer algo errado. Recomenda-se para ansiosos que têm medo de enlouquecer e perder a razão;

    *Honey sucklefloral indicado para quem vive no passado e se nega a enfrentar a realidade presente;

    RESCUE REMEDY: ajuda a controlar os níveis de stress e de ansiedade…

Há vários outros florais recomendados para estados de ansiedade. O mais indicado é procurar um bom terapeuta floral para que ele receite o melhor para o seu caso.

A ansiedade é um estado psíquico e mental que deve ser tratado.  Além de consultas médicas, terapia ou métodos alternativos, uma maneira de combater a doença é buscar uma vida saudável, com alimentação equilibrada, contato com a natureza, atividades físicas e opções de lazer. Tenha calma e procure ajuda.  Utilize como inspiração o desejo de ter uma vida digna e equilibrada, ela é possível, só depende de você.

OSTEOPATIA

OSTEOPATIA

Numa altura em que se fala muito das Terapias Não Convencionais, a Osteopatia é uma das 6 terapias que estão a ser regulamentadas pelo estado português, para fazerem parte do nosso sistema de saúde.  Mas o que é a Osteopatia?  Para entendermos melhor o que é a Osteopatia é importante referir o que ela não é:  – não é “estalar” ossos  – não é ser “endireita”  – não é Esoterismo  – não é uma medicina alternativa  “A Osteopatia é uma profissão de cuidados de saúde primários, que se foca no diagnóstico, tratamento, prevenção e reabilitação de transtornos músculo-esqueléticos e suas repercussões no estado de saúde geral do paciente.”  Still, A. T. (1902) The Philosophy and Mechanical Principles of Osteopathy.  A Osteopatia foi criada pelo médico americano Andrew Taylor Still no final do Século XIX, em que através da observação e investigação que realizou, encontrou uma correlação entre as patologias e as suas manifestações físicas.  O princípio da Osteopatia é prevenir ou tratar distúrbios funcionais do corpo, excluindo doenças orgânicas que necessitam de intervenção terapêutica, medica, cirúrgica, medicamentos ou agentes físicos como infeções virais, degenerativas, bacterianas ou genéticas.  A Osteopatia trata do corpo no seu conjunto. A sua ação passa por uma ligação fisiológica importante com o Sistema nervoso.   O organismo é uma máquina vital, uma estrutura anatómica com funções fisiológicas, que permanecerá saudável enquanto a estrutura permanecer normal. Mas se a estrutura se alterar, ocorrerão efeitos adversos ao seu funcionamento.  “… Há que tratar pacientes e não tratar doenças!…”  Porquê o nome Osteopatia?  Osteopatia não é uma doença ou não se refere a uma doença de ossos. É um termo que engloba os princípios básicos da ciência. Os ossos são a fundação sobre a qual as partes moles assentam. Os Osteopatas utilizam os ossos como pontos de referência para examinar o resto do corpo.  Para quê ou para quem?  As técnicas osteopáticas visam a aliviar os sintomas de condições relacionadas com as seguintes áreas: Sistema músculo-esquelético: reumatismo, lombalgias, entorses, tendinites, dores que ocorrem nas costas, pescoço, doenças que atingem as articulações, etc.;  Sistema visceral: constipação, diarreia, flatulência;  Sistema craniano: dores de cabeça, infeções crónicas de ouvido, tonturas, zumbido, sinusite crónicas, cólicas, etc.  Existem também técnicas específicas e orientadas para o Desporto (osteopatia desportiva) e para crianças (osteopatia pediátrica).  A Osteopatia ajuda o indivíduo a reencontrar a sua função natural dando mobilidade a todas as suas articulações.  “Encontra a causa, remove-a e o efeito desaparecerá”.  Cristina Coelho

OSTEOPATIA GESTACIONAL E GINECOLOGICA

O ciclo da mulher é gerido por um equilíbrio dos mecanismos fisiológicos dependentes, por um lado, do sistema nervoso autónomo, por outro lado de diferentes secreções hormonais assim como pela psique.   O tratamento alopático proposto para os distúrbios funcionais é muitas vezes excessivo e raramente sem efeitos colaterais. De facto, no caso de uma disfunção mecânica, o medicamento vai tratar os efeitos e não a causa, o que resulta que as mulheres são levadas a tratamentos cada vez mais penosos. A osteopatia, no entanto, porque se baseia no princípio da causa e efeito, pode ser importante nos desequilíbrios ginecológicos que perturbem a mulher em sua vida mais íntima. Inicialmente, o osteopata trata de forma holística, o que muitas vezes é suficiente para resolver um problema ginecológico. Por exemplo, algumas dismenorreias podem também vir de uma disfunção do sacrilíaca.   O fundador da osteopatia, A. T.Still, , defendia  que  para manter ou recuperar a saúde, o movimento é a vida, e que qualquer restrição da mobilidade leva à perda de função. Isto aplica-se nem só na parte estrutural do ser humano como nas vísceras. Disfunções do foro ginecológico tal como TPM, Amenorreia e dismenorreia podem ser tratadas com Osteopatia, além de outras patologias tal com problemas de Infertilidade.   Na gravidez, a Osteopatia utiliza técnicas manuais leves e não invasivas, mantendo o equilíbrio neurovegetativo e facilitando a adaptação aos novos volumes internos das vísceras.   A Osteopatia na Gravidez melhora o desenvolvimento fisiológico do feto, o estado de saúde físico e emocional da mulher grávida preparando-a para o parto.   A Osteopatia também tem um papel fundamental no Pós-parto.   A Segurança da mãe e do feto são prioridade do Osteopata

Cristina Coelho

OSTEOPATIA PEDIATRICA

O parto pode ser dos primeiros traumas que o bebé tenha. Parto longo ou curto, pode prejudicar o funcionamento das estruturas cranianas. Por vezes difícil, necessita de fórceps ou ventosas que vão influenciar a mobilidade das articulações do crânio e causar perturbações funcionais imediatas e subsequentes. Muitas vezes, os recém nascidos nascem com a cabeça ligeiramente deformada, crânio tipo “ovo”, um olho mais fechado que o outro, uma orelha mais para a frente, o nariz ligeiramente esmagado….  Os pais acham que vai passar… Aparentemente sim, mas o equilíbrio do crânio está quebrado e é uma disfunção do foro osteopático. Nos EUA, a Dra Viola Frymann estudou numa maternidade californiana 1200 bebés até aos 5 dias de idade. 12% tinham o occipital bloqueado. Cada nascimento deveria ser seguido de um exame osteopático, como já existe na Suíça por exemplo.   Quando devemos fazer consulta com bebé? – Quando houve um parto com epidural ou provocado – Quando o parto demorou muito tempo (mais de 8h) ou tempo a menos (menos de 2h) – Em caso de nascimento duplo (gémeos) – Quando a apresentação do bebé foi pélvica, frontal ou transversal – Quando a cabeça foi puxada com muita força – Quando nasce com o cordão umbilical à volta do pescoço – Quando houve força em cima da barriga da mãe para ajudar na expulsão – Utilização de fórceps ou ventosas – Cesarianas de urgência – Sofrimento fetal, reanimação do bebé   Aprende a observar o seu bebé e faça uma consulta caso: – Arqueia-se muito para trás quando pegado ao colo ou a comer – Bebé assustado com qualquer tipo de barulho – Dificuldade em segurar a cabeça – Choro intenso – Problema de sucção – Má digestão – Cólicas / Obstipação – Queda – Má posição dos pés – Cabeça posicionada sempre do mesmo lado – Otites, bronquite, sinusite, respiração forte Crianças   – Tudo o que acontece no parto tem reflexo no crescimento da criança e do próprio adulto. Todos os sintomas, disfunções e patologias referidas para os recém nascidos também podem ser tratados em crianças mais velhas, e até adultos.     TRATAMENTO OSTEOPÁTICO: um exame manual suave das diferentes mobilidades fisiológicas (crânio, sacro, abdómen) onde poderá ser detetado disfunções menores na origem desses distúrbios. Mesmo que a criança não apresente sintomas, um tratamento osteopático é preventivo no bom crescimento do seu bebé.   Cristina Coelho  voltou ao ZEN & TERAPIAS, agora com  este  trabalho…

Doença celíaca e intolerância ao glúten – duas faces da mesma moeda A doença celíaca e a intolerância ao glúten têm como denominador comum a sensibilização do indivíduo ao glúten, uma proteína que existe naturalmente nas sementes de alguns cereais como o trigo, cevada, centeio e aveia. A doença celíaca é uma manifestação extrema da intolerância ao glúten, o qual provoca uma reacção de sensibilidade, ou seja uma resposta imune desajustada, em indivíduos com predisposição genética. Esta reacção de sensibilidade consiste numa “inflamação” do intestino delgado, o qual ao ser “agredido” pelo glúten fica com a sua camada de revestimento danificada, com consequente diminuição da capacidade de digestão dos alimentos e absorção dos nutrientes. A doença surge normalmente durante o primeiro ano de vida, podendo manifestar-se em qualquer idade. Quando aparece na primeira infância geralmente verifica-se que a criança começa a perder o apetite, deixa de aumentar de peso, torna-se indiferente, facilmente irritável, o abdómen apresenta-se volumoso e as fezes anormais, pastosas, fétidas e por vezes diarreicas. Existem diversos exames complementares de diagnóstico para despistar a doença como análises ao sangue e fezes, mas para se ter a certeza do mesmo é indispensável fazer uma biopsia intestinal. A base do tratamento da doença é uma alimentação isenta de glúten. Os principais sintomas clínicos geralmente diminuem na maioria dos pacientes 2 a 8 semanas após a introdução do plano alimentar sem glúten, mas em alguns casos pode demorar mais tempo. Para além da doença celíaca é hoje admitida uma outra forma de intolerância ao glúten designada de “sensibilidade ao glúten não celíaca”, em que o paciente apresenta sintomas como desconforto abdominal, flatulência, diarreias ou obstipação, dores de cabeça, etc., mas sem alterações da mucosa intestinal. Existem também alguns dados que sugerem que o glúten pode ser um factor de agravamento em patologias crónicas auto-imunes como o síndrome do cólon irritável, psoríase ou artrite e também em doenças do foro neurológico como a demência, depressão ou PHDA (Perturbação de Défice de Atenção e Hiperactividade). Na base destas doenças está a inflamação e o glúten, assim como o açúcar e gorduras hidrogenadas são importantes estimulantes das vias inflamatórias também no cérebro. Embora algumas destas questões relativas ao glúten ainda não sejam consensuais ao nível da comunidade científica, estudos e pesquisas irão certamente clarificar melhor esta associação, a qual parece dever-se à ingestão massiva de alimentos que naturalmente o contêm, (característica da alimentação contemporânea) e ao excessivo consumo de produtos processados, nos quais o glúten é adicionado, dado que é um aditivo muito comum na industria alimentar. Para que seja possível fazer uma alimentação isenta de glúten é necessário fazer uma leitura cuidadosa dos rótulos dos alimentos, principalmente os de confecção industrial. Segue-se uma lista de alimentos com e sem glúten: Alimentos com glúten -todos os derivados de trigo, centeio, cevada e aveia -pão, bolos, biscoitos, doces de pastelaria, tostas e bolachas -cereais pequeno almoço contendo trigo -papas para bebés, com excepção das de milho e arroz -massa, pão ralado -sopas de pacote, espessantes para molhos, mostarda, molhos, refeições pré confeccionadas Alimentos isentos de glúten -peixe, carne, ovos -leite, iogurte, queijo fresco e requeijão -arroz, batata, trigo sarraceno, quinoa, leguminosas – fruta e produtos hortícolas em geral -pão de milho -pão, bolos, bolachas e biscoitos confeccionados com farinha sem glúten Existe um variado leque de alimentos isentos de glúten saudáveis, que podem contribuir para uma alimentação equilibrada, no entanto existem também espaços comerciais onde se pode encontrar uma variada gama de alimentos como pão, massas, bolachas, etc,. sem glúten. A Pescanova também dispõe de alimentos isentos de glúten, os quais são uma boa opção para a população em geral e em particular para os doentes celíacos ou indivíduos com sensibilidade ao glúten. Se sofre de doença celíaca obrigatoriamente deve fazer uma alimentação isenta de glúten sempre. Se apresenta alguma das patologias ou sintomas atrás referidos, experimente fazer durante um determinado período de tempo esse regime e veja como se sente. Se é absolutamente saudável também não perde nada em diminuir o consumo de alimentos com glúten, afinal isso vai permitir-lhe diversificar mais as suas escolhas alimentares e diminuir a ingestão de produtos processados o que é uma mais valia em alimentação saudável… mas sem fundamentalismos! Ana Maria Oliveira Nutricionista NOTA: Este texto não foi redigido ao abrigo do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa